fbpx

Alunos de Engenharia Civil desenvolvem projetos arquitetônicos para o “Casa Fácil” 

por: comunicacao / há 3 meses

Programa da Prefeitura de Tapejara favorece a regularização de imóveis de famílias de baixa renda

Os munícipes de Tapejara que desejam construir suas residências através do programa “Casa Fácil” – de regularização habitacional – agora podem escolher entre mais opções de modelos de residências. Isso porque a Prefeitura conta, desde a última quinta-feira (23), com dez novos projetos arquitetônicos em seu portfólio – além dos três que possuía – doados pelos alunos de Engenharia Civil, da Faculdade UMFG. 

Os modelos foram entregues, pessoalmente, pelos estudantes do 2º período do curso ao prefeito, Rodrigo Pezão, e ao vice, Rogério Francischini. “Ambos se mostraram muito satisfeitos com os novos projetos pois sabem da necessidade deles para serem apresentados à população. Essa satisfação para nós é uma grande recompensa, pois nos dá a sensação de dever cumprido”, relatou a coordenadora de Engenharia Civil, Bruna Maia Palharini. 

“Observar o trabalho desses jovens alunos do curso nos transborda de orgulho. Eles não estão apenas aplicando conceitos acadêmicos aprendidos em sala de aula, mas também pensando de forma crítica sobre de que modo a engenharia pode contribuir de forma positiva na resolução de desafios da sociedade”, enfatizou o diretor da instituição Prof. Dr. Mario Neto, durante o encontro com os representantes do Poder Público. 

PROJETO SOCIAL

O “Casa Fácil” é um projeto da Administração Municipal que visa promover a regularização de imóveis de famílias de baixa renda. Para isso, oferece o projeto arquitetônico e a documentação necessária com um custo mais acessível ao contribuinte. A iniciativa privilegia residências que contém sala, cozinha, banheiro, dormitórios e garagem, sendo considerada a metragem máxima de 69,99m².

 

DESENVOLVIMENTO

Os projetos foram elaborados nas aulas de Desenho Arquitetônico. A ideia surgiu a partir do professor da disciplina, Alisson de Souza Fulgêncio, que também atua no departamento de Obras da Prefeitura de Tapejara. No desenvolver do seu trabalho, sentiu que eram necessários mais modelos de projetos para agradar aos contribuintes. “Era preciso vários ajustes nos projetos existentes e isso acabava por atrasar a entrega”, conta. 

Esta foi a primeira vez que a Faculdade desenvolveu um projeto como este, que auxilia diretamente à comunidade com projetos arquitetônicos.